Sexta-feira, 8 de Junho de 2007

Cila e Glauco

 

Glauco era um humano que as divindades aquáticas resolveram transformar numa criatura do mar. Era muito bonito, mas não para os olhos humanos. Apaixonou-se pela humana Cila, que apavorada pela súbita presença de Glauco, põe-se a fugir, pelas águas, pelas rochas, pelas cavernas submarinas. Desesperado, Glauco lança-se em perseguição da bela ninfa, implorando, com gritos e prantos convulsos, que lhe conceda um pouco de atenção e amor. Impassível às súplicas, Cila continua a sua fuga, tendo por objectivo esconder-se num lugar tão secreto e inacessível que jamais Glauco conseguiria encontrá-la. Depois de inúteis buscas, o deus é obrigado a reconhecer sua derrota. Apenas algum poder superior lhe facultaria conquistar o afecto da bela ninfa. Abatido, torturado, Glauco dirige-se para a ilha de Ea, onde morava a maga, e, entre suspiros e lágrimas, pede-lhe que o ajude a conquistar a tão amada ninfa. Circe promete atendê-lo. Entretanto, enamora-se pelo deus marinho. Não lhe importando o aspecto animalesco de Glauco: a sua riqueza de sentimentos, e os seus olhos azuis como o mar jónico fascina-a. Agora é Circe quem se põe a percorrer os mares, sem descanso atrás do seu amado. Quando por fim o seu encanto de mulher revela-se insuficiente, ela recorre aos seus poderes de feitiçaria, à sua habilidade de transformar pessoas em monstros, e decide fazer de Cila uma criatura tão horrenda e nojenta que todo o amor de Glauco haveria de transformar-se em aversão. Sem ser vista, a feiticeira derrama veneno nas águas de uma fonte onde a ninfa costumava tomar banho. Depois volta para a sua ilha e, ansiosa, aguarda pelos resultados. Cila mergulha na água enfeitiçada. O belo corpo esguio e macio começa lentamente a transformar-se. Monstros horrendos surgem à sua volta, com ensurdecedor alarido. A ninfa, amedrontada, procura fugir-lhes. Mas eles estão sempre a seu lado. Então Cila descobre: são parte de si mesma, nascem de seu corpo. Desesperada corre ao encontro de Glauco e nos seus braços chora longamente. Ele também lamenta a beleza perdida, mas recusa-se a permanecer com a antiga ninfa. O grande amor já não existe. Cila vai viver no estreito da Sicília, aterrorizando os mortais que antes a tentavam conquistar, deslumbrados com sua extraordinária beleza. Na ilha de Ea, Circe inutilmente espera o retorno de Glauco. Revoltado com sua traição e crueldade, o pobre deus jamais quis visitá-la. E passou toda a existência cultivando a lembrança de uma ninfa bela e doce, que um dia se perdeu nos feitiços do ciúme.

David  

publicado por ML às 22:39
link do post | comentar | favorito

Zeus

 

 

 

 

     Zeus era senhor do céu e deus grego supremo. Filho mais novo de Cronos e Réia, nasceu no Monte Ida, em Creta. Conhecido pelo nome romano de Júpiter, tinha como irmãos Poseídon, Hades, Deméter, Héstia e Hera, de quem era também marido. Era também pai de diversos deuses como Atena, Artemis e Apolo. Zeus sempre foi considerado um deus do tempo, com raios e trovões, chuvas e tempestades atribuídas a ele. Mais tarde, ele foi associado à justiça e à lei.

     Havia muitas estátuas erguidas em honra de Zeus, sendo que a mais magnífica era a sua estátua em Olímpia, uma das sete maravilhas do mundo antigo.

     Originalmente, os jogos Olímpicos eram realizados em sua honra. Segundo o mito, durante muito tempo quem governou a terra foi o tirano Urano (o Céu), até que foi deposto por Cronos, seu filho. Então Urano profetizou que Cronos também seria destronado pelo seu próprio filho.

     Cronos tinha medo da maldição, por isso passou a comer os filhos logo que nasciam, mas Réia continuava a amar os seus filhos. Teve então um bebé e enganou o marido dando um potro a Cronos, mas Cronos como o comeu tão depressa, não notou que tinha comido um saco de pedras.

 

Diogo Domingos

publicado por ML às 15:01
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Sexta-feira, 18 de Maio de 2007

Sereias

      Estes génios do mar eram filhos do deus - rio Aqueloo e da Musa Melpómene . Eram entre duas a oito as Sereias : Teles, Redne, Molpe, Texíone, Pisínoe, Agláope, Telxíope, Parténope, Leucósia e Lígia .

      Habitavam numa ilha  perto do litoral meridional, a oeste da Sicília .

      As meio - mulher meio - peixe andavam pelo mar durante a maior parte do dia, saindo de onde estavam quando pressentiam a aproximação de navios. Com o seu belo canto, atraíam os navios até aos recifes onde estavam, fazendo-os naufragar e devorando de seguida os marinheiros . Quando as lendas as tinham como meio - mulher meio - ave, pairavam no ar como gaivotas ou acolhiam - se em penhascos junto ao mar, à espera de marinheiros . Existem, por exemplo, representações do navio de Ulisses com as perigosas Sereias a voar em torno dele e cantando as suas belas mas fatais melodias .

      Mas alguns mortais resistiram - lhes, como Orfeu .

      Ulisses foi outra das figuras mitológicas que escapou, ajudado por Circe. Para tal, mandou os seus marinheiros pôr cera nos ouvidos para não ouvirem o canto fatal . Para se salvar a si próprio , Ulisses ordenou que o amarrassem ao mastro do navio e não o soltasse por motivo algum, podendo ouvi - las sem lhes obedecer. Assim lho tinha dito Circe que fizesse.

      A palavra da Sereia , devido a todas estas lendas , passou a significar mulher perigosamente sedutora .  

Ana Beatriz      

 

 

 

publicado por ML às 14:53
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito

Calipso

   Segundo alguns autores seria filha de Oceano e de Tétis, vivia numa gruta, na encosta duma montanha na ilha de Ogígia. A entrada da sua morada era cercada por um bosque sagrado, onde vivia uma fonte, também sagrada.

 

    Os seus filhos mais importantes eram Áuson, Nausínoo e latino.

 

   Sendo uma das deusas fiandeiras, era poderosa feiticeira e trazia em si o poder da vida e da morte.

 

    Na mitologia grega calipso era uma ninfa do mar que retardou Odysseus em ilha dela durante7 anos Calipso. Flha do titã Atlas.    Vivia sozinha na mítica Ilha de Ogígia, no mar Jónico.

Afonso Vassalo

 

publicado por ML às 13:24
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito

Hércules

Hércules era filho de Júpiter e de Alcmena, mulher de Anfitrião, rei de Tebas.
Júpiter, para enganar Alcmena na ausência do marido, então envolvido na guerra com os Teléboas, povo da Acarnânia, tornou-se semelhante a Anfitrião e foi encontrar-se com ela. Desse encontro resultou o nascimento de Hércules, a quem Júpiter prometera um alto destino.


Ainda menino, Hércules deu provas da sua força e valentia. No tempo em que desceu aos infernos, Lico, que chegou a ser rei de Tebas por usurpação, quis obrigar Mégara, mulher de Hércules, a aceitá-lo como marido. Mas Hércules, que oportunamente regressara, matou Lico.


Juno, sempre indignada contra Hércules, que era filho de uma concubina de seu marido, considerou injusto este crime e inspirou em Hércules tal fervor que ele acabou por matar Mégara e os filhos que tinha dela.


Como Juno estava desejosa de se livrar do herói, instigou o irmão mais velho deste, Eristeu, que o odiava, a obrigá-lo a realizar doze empreendimentos difíceis e perigosos, que ficaram conhecidos pelos «Doze trabalhos de Hércules»: estrangular o leão de Nemeia; capturar a corça dos pés de bronze; matar as aves do lago Estinfalo; matar a hidra de Lerna; capturar vivo o javali de Erimanto; matar Diomedes, rei da Trácia, que alimentava os seus cavalos de carne humana; vencer as Amazonas; dominar Cérbero, o cão que guardava os infernos, e libertar Teseu; matar o feroz touro de Creta; limpar os estábulos do rei da Élida; matar o gigante Gérion; apanhar do jardim das Hespérides as maçãs de ouro.
Hércules levou a bom termo todas esta façanhas e ainda outros trabalhos de igual perigo e dificuldade: estrangulou o gigante Anteu, filho da Terra; livrou Hesíona, princesa da Frígia, do monstro que queria devorá-la, etc.


Foram tantas e tão gloriosas as acções levadas a cabo por Hércules, que, depois da sua morte, o incluíram no número dos deuses e lhe deram Hebe, deusa da mocidade, por mulher.


Hércules representa-se na figura de um homem robusto e musculoso, coberto com uma pele de leão e armado com uma maça muito pesada.

   

 

 

  

Os Doze Trabalhos de Hércules


Hércules, cujo nome na mitologia grega é Héracles, filho de Júpiter e de Alcmene, é um dos heróis mais populares da mitologia clássica.


Reza a lenda que Júpiter assumiu o corpo de Anfitrião, marido de Alcmene, e desta união com Alcmene nasceu Hércules e também o seu irmão gémeo Íficles, este último, filho verdadeiro de Anfitríon. Júpiter proclamou que a criança que ia nascer seria um dia o rei da Grécia. Por esta razão, a despeitada Juno, esposa de Júpiter, provocou o nascimento de Eristeu, primo de Hércules, retardando o nascimento dos filhos de Alcmene. Eristeu tornou-se, assim, rei da Grécia, e Hércules ficou obrigado a obedece-lhe. Como Juno ainda não se considerava totalmente vingada da infidelidade de Júpiter e, depois de muitas tentativas mal sucedidas para matar Hércules, provocou-lhe, então, uma raiva tão grande que o enlouqueceu, temporariamente, fazendo com que matasse a própria mulher, Megara, e os filhos. Em seguida, como Hércules queria deixar Argos, Eristeu, a mando de Juno, só o deixava partir após a realização de doze trabalhos de difícil execução.
O primeiro trabalho consistia em exterminar o leão de Nemeia e trazer a sua pele de volta para entregar a Eristeu. Como as setas não conseguiam perfurar a pele do leão, Hércules estrangulou-o com as suas próprias mãos e da pele fez uma vestimenta que o tornava invulnerável e da sua cabeleira fez o elmo. Quanto ao leão, conta-se que Júpiter o inseriu nas constelações para que não fosse esquecido o feito de Hércules.


O segundo desafio de Hércules foi o da hidra de Lerna, a enorme serpente de nove cabeças, filha de Tifo e Equidna. O seu hálito era venenoso e assolava a região de Lerna, no Peloponeso. Acompanhado de Iolaus, Hércules tentou cortar as cabeças da serpente mas, por cada cabeça cortada, nasciam mais duas. Então, Iolaus deitou fogo à floresta, queimando a serpente, e Hércules cortou a cabeça do meio da Hidra, que se dizia imortal, e enterrou-a. Depois mergulhou a ponta das suas setas no sangue da serpente, tornando-as venenosas e mortais.
O terceiro trabalho a realizar foi trazer vivo o javali selvagem de Erimanto que, capturado por Hércules, foi levado para Tiro. Quando avistou a fera, Eristeu escondeu-se cheio de medo num jarro de bronze.


O quarto empreendimento foi a corça dos pés de bronze de Cerinéia, cujas armações eram em ouro. Esta tinha de ser levada viva a Eristeu. Hércules perseguiu-a, durante um ano, até capturá-la nas margens do Lado.
Em seguida, Hércules teve de enfrentar os pássaros do lago Estinfália, em Arcádia,
que eram de um tamanho monstruoso e que possuíam asas, bicos e garras de ferro. Esses pássaros comiam carne humana e eram tão numerosos que, quando voavam, o dia ficava noite. Hércules assustou-os com castanholas de bronze e, depois, trespassou-os com setas.

 
Seguiu-se o desafio dos estábulos de Augias, rei de Elis, que tinham, entre os muitos rebanhos, doze touros brancos sagrados de Hélios. Os touros estavam muito sujos, pois o rei não mandava limpar os estábulos que se iam acumulando de estrume. Hércules, que tinha de lavá-los, desviou o curso dos rios Alfeu e Peneio e, rapidamente, ficou tudo limpo. Augias recusou-se a dar a Hércules a recompensa prometida - um terço do seu rebanho, sendo castigado pela sua desonestidade.
A sétima tarefa de Hércules era trazer o touro de Creta vivo até Eristeu que o queria consagrar a Juno. O touro de Creta tinha sido oferecido por Posídon a Minos, para que este sacrificasse o animal em sua honra. Como isso não aconteceu, Posídon enraiveceu o touro que aterrorizava o povo de Creta. Hércules capturou o touro e, montado nas costas do animal, através do mar de Argolis, trouxe-o até Eristeu.


Hércules capturou, posteriormente, as éguas de Diomedes, rei da Trácia. Estes animais que se alimentavam de carne humana, foram mortos por Hércules que deu a comer a Diomedes as próprias éguas.


A pedido da sua filha Admete, Eristeu mandou Hércules buscar o cinturão de Hipótila, rainha das Amazonas da Capadócia e a quem Ares tinha dado o cinturão, como sinal de soberania. Hipólita acedeu a entregar o cinturão a Hércules, mas Juno, furiosa, disfarçou-se de amazona e espalhou a notícia de que Hércules queria raptar a rainha. As
amazonas pegaram nas armas, e Hércules, pensando que estas o tinham atraiçoado, matou-as, juntamente com a rainha.


A décima tarefa consistia em capturar o gado de Gerião. Composto por uma manada de bois vermelhos, pertencia ao monstro Gerião, que tinha três troncos e que vivia na costa ocidental da Ibéria, segundo uns, ou, em Epiros, segundo outros. Hércules matou o monstro e, após muitas aventuras, conseguiu levar os bois a Eristeu que os sacrificou a Juno.


Depois foi encarregado de levar as maçãs douradas do jardim das Hespérides. Diz-se que esse jardim se situava ou no monte Atlas, ou no país dos Hiperbóreos. Primeiro, Hércules teve de descobrir o caminho até ao jardim, depois, induziu Atlas, que sustentava o mundo sobre os seus ombros, a recolher as maçãs e, finalmente, levou-as a Eristeu.

 

Depois de se libertar da servidão de Eristeu, Hércules teve muitas outras aventuras. Quando morreu, foi recebido por Júpiter, no Olimpo, onde se reconciliou com Juno e casou com a filha desta, Hebe, vivendo a vida feliz dos deuses imortais.

 

O seu décimo segundo trabalho foi capturar Cérbero, o monstro-cão de três cabeças, guardião dos portões infernais. Antes de executar esta tarefa, Hércules foi iniciado nos Mistérios de Elêusis que ensinavam aos fiéis os meios de atingir o mundo dos mortos, com toda a segurança. Depois, desceu ao submundo, onde capturou Cérbero com as suas próprias mãos e, no caminho, encontrou Teseu que libertou após permissão de Perséfone. Quando entregou Cérbero a Eristeu, este teve tanto medo que Hércules levou-o novamente para o reino dos mortos.

Diciopédia 2005 - Alexandre Dinis

publicado por ML às 13:13
link do post | comentar | favorito
Sábado, 12 de Maio de 2007

Agamémnon

   Agamémnon era rei de Argos e de Micenas, filho de Atreu, neto de Pélopes e irmão de Menelau.

   Foi o supremo chefe da guerra de Tróia, comandante do exército Aqueu. Era arrogante e muito egoísta, a sua maior fraqueza era a sua arrogância vaidosa. Como a Aquiles, a Agamémnon faltava-lhe prudência e ponderação.

  O pai de Agamémnon, foi assassinado por Egisto, pois o pai de Egisto recebeu um prato com membros da família dele pelo seu próprio irmão, o pai de Agamémnon por causa de brigas familiares. Egisto ao matá-lo, apoderou-se do trono de Atreu e governou juntamente com o seu pai. Durante este período, Agamémnon e Menelau procuraram refúgio em Esparta. Casaram-se com as princesas Clitemnestra e Helena. Agamémnon expulsou Egisto e Tiestes para recuperar o reino do seu pai. Alargou os seus domínios pela conquista, e tornou-se o príncipe mais poderoso da Grécia.

   Agamémnon e Clitemnestra tiveram cinco filhos: quatro filhas, Ifigénia, Electra, Crisótemis e Ifianissa e um filho, Orestes.

   Ifigénia, (a filha mais velha de Agamémnon) foi sacrificada, quando o exército ia para Tróia, Artemisa, deusa da caça estava zangada com Agamémnon, pois este tinha morto um animal muito importante para ela, fez com que não houvesse vento e Agamémnon teve de a matar, no entanto ela foi salva pela Deusa, que a fez sacerdotisa.

   Em Tróia, Agamémnon lutou e realizou muitos feitos heróicos. Após a tomada de Tróia, Cassandra, princesa de Tróia e profetisa condenada, caiu-lhe na sorte na distribuição dos espólios de guerra.

O regresso de Agamémnon, após uma viagem violenta com Cassandra, acabara por ir dar ao país de Egisto. Egisto, que durante esse tempo seduzira Clitemnestra, convidou Agamémnon para um banquete, onde este foi traiçoeiramente morto. Agamémnon foi assassinado pela esposa sozinho no banho, as razões desta foi de ele ter matado a sua filha Ifigénia, o seu primeiro marido e os seus filhos. Clitemnestra também matou Cassandra pelos seus ciúmes. Egisto e Clitemnestra governaram o reino de Agamémnon durante um tempo, mas o assassínio de Agamémnon acabou por ser vingado pelo seu filho Orestes (possivelmente com a ajuda de Electra). Clitemnestra e Egisto maltrataram Electra toda a vida, pelo contrário, Orestes fora mandado por sua irmã para longe da mãe para sua segurança. Quando este se tornou adulto voltou a casa secretamente e matou a sua mãe e Egisto.

Mais tarde, Orestes, irmão de Ifigênia, reencontrou-a em Táurida, e levou-a para Micenas de volta.

 

 

Joana Ramos

 

publicado por ML às 23:00
link do post | comentar | favorito

Ájax

 

              Ájax foi o filho de Telemão, rei de Salamis, e meio-irmão de Teucro. Depois de Aquiles, era o herói grego mais poderoso na guerra de Tróia. Era gigante, com cabeça e ombros maiores que outros gregos; muito forte porém era lento a falar.

Ele juntamente com Nestor, Diomedes e Idomeneu eram reis e heróis gregos. Comandavam exércitos dos seus reinos, sempre sob a supervisão de Agamémnon.

         Na mitologia grega, Ájax era o nome de dois heróis da guerra de Tróia. Um filho de Telamon – Ájax, o Grande; e outro Oileo – Ájax, o Menor.

         Ájax foi um grande guerreiro de Ilíada mas não foi tão conhecido quanto Aquiles.

         Homero descreve Ájax como uma muralha por ele ser muito alto e grande.

Quando Aquiles se retirou da luta, Ájax enfrentou Heitor num só combate. Os dois lutaram durante um dia e Heitor sofreu apenas alguns ferimentos. Depois da morte de Aquiles, Ájax disputou com o Odisseu (Ulisses) a armadura do herói morto. Mas o Odisseu (Ulisses) provou ser melhor orador e ganhou o prémio.

         Degolou os animais dos rebanhos dos gregos, certo de que matava os adversários. Ao ver o erro que tinha feito, suicidou-se. A loucura de Ájax inspirou a Sófocles, a tragédia de Ájax furioso, em 450 a.C.

         Ájax era filho de Oileu, rei de Lócrida (Locris) na Grécia Central. Depois da queda de Tróia ele violou o templo de Atena ao arrastar a profetisa Cassandra do altar da deusa.

         Houve uma luta entre Ájax e Hércules.

Sara Correia 

publicado por ML às 22:58
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Atena

 

 

           Atena era a Deusa da sabedoria, assim como patroa das artes e dos ofícios. Mas também conhecida por Minerva pelos romanos.

 Segundo a tradição, Zeus comeu a sua primeira mulher, Métis, quando esta estava grávida de Atena, por ter medo que o seu filho lhe tirasse o trono; mas Métis deu à luz na cabeça de Zeus. Mas algum tempo depois sentiu uma grande dor de cabeça e pediu a Hefesto que lhe abrisse a cabeça ao meio e daí saiu Atena completamente armada.

         Atena nunca conheceu a mãe e considerava-se portadora de um só progenitor, Zeus.

         Atena era filha da sua primeira mulher, mas a sua preferida.

Saiu já adulta da protecção de Zeus.

  

Joana Cardoso

publicado por ML às 22:48
link do post | comentar | favorito

Tirésias

  

       Na mitologia grega, Tirésias foi sucessivamente homem e mulher.

       Segundo a mitologia grega, Tirésias era um profeta de Tebas que ficou cego ao ver a nudez de Atena.

      O Mito conta que ao ir orar sobre um monte cinturão, encontrou um casal de cobras venenosas. Tirésias matou a fêmea, e logo se transformou em mulher. Anos mais tarde, no mesmo sítio, encontrou outro casal de cobras venenosas mas desta vez Tirésias matou o macho e de seguida se transformou em homem.

      O Mito também conta que Tirésias era cego, o motivo foi o facto de ele ter ousado olhar Minerva enquanto esta se banhava numa fonte.

      Em «A Odisseia» citada por Homero, a informação dada sobre Tirésias é a mais acertada.

 

Ana Catarina Diogo

publicado por ML às 22:44
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito
Blog criado para o 7ºC
Trabalho de pesquisa e tratamento de texto 
Os Deuses e heróis na obra Odisseia de Homero

.pesquisar

 

.Junho 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Cila e Glauco

. Zeus

. Sereias

. Calipso

. Hércules

. Agamémnon

. Ájax

. Atena

. Tirésias

.arquivos

. Junho 2007

. Maio 2007

.tags

. todas as tags

.Imagens

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds